Home Culturas Os idiomas mais antigos do mundo

Escrita suméria
1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 1 LinkedIn 0 1 Flares ×

Os idiomas mais antigos do mundo

Estudo voltado as línguas sugerem que a Suméria é a língua escrita mais antiga das que se têm testemunhos gráficos. As primeiras inscrições tem origem em 3000 a.C. e seu alfabeto é cuneiforme.(f. concha).

Idioma indiano :indo iranianas

Os idiomas mais antigos do mundo. Sânscrito

Os idiomas mais antigos do mundo. Sânscrito

Até o ano 1000 a.C. a língua indo-iraniana era dividida em duas: o ramo indiano ou indo-ário e o iraní ou persa. O ramo indiano desenvolveu-se no noroeste da Índia. Sua história pode ser dividida em três grandes etapas: o indiano antigo, que inclui o védico e o sânscrito; o indiano médio, com os dialetos vernáculos do sânscrito, chamados prácritos (dos quais procede o páli, língua sagrada dos textos budistas), e o indiano novo ou moderno.

As línguas relevantes são o híndi e o urdu. A primeira, falada pelos hindus (cerca de 180 milhões), tem sua origem no sânscrito. A segunda, de origem persa, é a língua dos muçulmanos.

As outras línguas indianas são o bengali (falada por cerca de 120 milhões de pessoas em Bengala e Bangladesh), o penjabi, o biari, o cingalês (idioma oficial do Sri Lanka) e o romani (língua dos ciganos). Cerca de 150 milhões de pessoas falam 23 línguas dravídicas, principalmente no sul da Índia. Quatro têm condição para serem idiomas oficiais: tamil, télugo, canará e malaio. Estas línguas têm produção literária e escrita autônomas.

Lingua japonesa :Língua aglutinante falada por mais de 120 milhões de pessoas que vivem no Japão, 200 mil no Havaí, 200 mil nos Estados

Os idiomas mais antigos do mundo

Os idiomas mais antigos do mundo

Unidos e quase 400 mil no Brasil.

Não há relação entre o japonês e outras línguas. Só existem semelhanças no léxico com as línguas do leste da Ásia, como as tibetano-birmanas e as austro-asiáticas.

Do século VIII em diante, apenas os caracteres da língua chinesa passaram a ser utilizados como sinais fonéticos — cada signo representava uma sílaba. Um século depois, esses caracteres foram abreviados e deram lugar à aparição de dois silabários japoneses ou kana (“sinal que representa uma sílaba”): o katakana e o hiragana. Depois da II Guerra Mundial, o número de caracteres caiu para 1.850, subindo em seguida para 2.000, num significativo processo de simplificação da língua escrita Os hieróglifos podem ter começado em tempos pré-históricos como uma escrita por meio de imagens. Embora os egípcios nunca tivessem formado um alfabeto como o conhecemos, estabeleceram símbolos para todas os sons consonantais da sua língua. O sistema mostrou-se notavelmente eficiente. Combinando-se fonogramas, formavam-se versões esquematizadas de palavras. Nem todos os hieróglifos abandonavam a sua função de imagens de palavras para se tornarem símbolos fonéticos. Pelo menos 100 hieróglifos eram usados para representar a palavra que retratavam, sendo usados também como determinativos do significado das palavras.

Os idiomas mais antigos do mundo

Os idiomas mais antigos do mundo

Durante 3000 anos constituíram a linguagem monumental do Egito. A última inscrição conhecida é do ano de 394 d.C., quando o Egito era uma província romana. Já então, tantos hieróglifos tinham sido propositadamente obscurecido pelos escribas sacerdotais fazendo com que os sinais fossem incompreensíveis para a maioria dos egípcios. Em 1822, um lingüista francês provou que os desenhos podiam formar palavras não relacionadas com a imagem. Só então os homens do Ocidente começaram a compreender que tinham diante de si toda uma linguagem que representava a chave para o que até então tinha sido um povo misterioso.

Torre de Babel – História da Torre de Babel

Segundo o Antigo Testamento (Gênesis 11,1-9), torre construída na Babilônia pelos descendentes de Noé, com a intenção de eternizar seus nomes. A decisão era fazê-la tão alta que alcançasse o céu. Esta soberba provocou a ira de Deus que, para castigá-los, confundiu-lhes as línguas e os espalhou por toda a Terra.

Este mito é, provavelmente, inspirado na torre do templo de Marduk, nome cuja forma em hebraico é Babel ou Bavel e significa “porta de Deus”. Hoje, entende-se esta história como uma tentativa dos povos antigos de explicarem a diversidade de idiomas. No entanto, ainda restam no sul da antiga Mesopotâmia, ruínas de torres que se ajustam perfeitamente à torre de Babel descrita pela Bíblia
Os fenícios foram responsáveis pelo alfabeto Árabe, grego, hebraico . Alfabeto latino também foram decorrência dos fenícios. Os fenícios, chamados sidônios no Antigo Testamento e fenícios pelo poeta Homero, eram um povo de língua semítica, ligado aos cananeus da antiga Palestina. Fundaram as primeiras povoações na costa mediterrânea por volta de 2500 a.C. No começo de sua história desenvolveram-se sob a influência das culturas suméria e acádia da vizinha Babilônia.

Língua Persa – História da Língua Persa

É a mais significativa do ramo iraniano, subfamília das línguas indo-iranianas, que pertencem ao conjunto indo-europeu. É o idioma do Irã (antes Pérsia), também falado no Afeganistão e, em sua forma arcaica, no Tajiquistão e na região de Pamir. O persa (ou iraniano) moderno emprega o alfabeto árabe e tem uma literatura rica e extensa.

CURSO DE HEBRAICO E GREGO ON-LINE PRÁTICO E EFICAZ!

Este Curso destina-se a todas as pessoas que veem no hebraico e grego um mundo de possibilidades!

Aprenda a Ler, Escrever e Falar Hebraico e Grego!

Elementos de ortoépia (pronúncia normal e correta dos sons) Ortografia (escrita correta das palavras) Etimologia (formação das palavras e suas flexões).

Alfabeto;

Pronuncia;

Pronomes Pessoais;

Lista de Preposições e Pronomes;

Gramática;

Verbos;

Frases;

Expressões Idiomáticas;

Nenhuma tradução será perfeita, e o conhecimento da língua original permite ir mais longe do que a tradução pôde expressar.

Entre em contato com a Cultura hebraica e grega!

Artigos similares

Leave a Reply

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 1 LinkedIn 0 1 Flares ×